quinta-feira, março 04, 2021

O Centenário do PCP na rua 19

 

 O Centenário do PCP na rua 19 


























Venda especial do Avante alusivo ao Centenário do PCP 

na rua 19 


Nós estamos hoje aqui na rua e podemos cortar mas que eu sinto esta bom que a distribuição de propaganda nomeadamente com a venda do Jornal Avante.


É um jornal especial e se refere aos 100 anos de existência do Partido Comunista português tem como se sabe foi criado em 6 de Março 1921 .

Voltarmos a falar do partido mais antigo de Portugal porque começa vírus são é um dado histórico não é uma questão de opinião é que em 33 na algum toque de Maio em 1926 acaba as suas liberdades em 33

 Salazar pública a constituição são proibidos os partidos e os sindicatos livres e no que se refere aos partidos dos únicos dos fios têm alturas designadamente o artificialismo partido republicanos

Os portistas a tipo o único que não a edição 11 da ditadura foi o PCP os outros seguiram desapareceram e PCP foi para a clandestinidade com as consequências daí decorrentes que são conhecidas decisões prisões .

Assassinatos nos fez digamos assim a conclusão.

O mundo fosse definir um abandonou o povo do partido socialista conhecemos hoje é o parte se a lista criada em 1973 um ano antes da Revolução de um congresso que realizaram na Alemanha Federal então ainda havia Alemanha floral e Alemanha de Leste os outros por CDS PSD  foram criados já com os seus dados na relação .



Pavimentação da Estrada na Rua 21


 

Pavimentação da Estrada  na Rua 21 






















Jornal Maré Viva Espinho pagina 8 de 04 Março de 2021

 


Digital do Maré Viva



























https://issuu.com/jornalmareviva/docs/edi__o_digital_mv_2_de_mar_o_de_2021



https://issuu.com/jornalmareviva/docs/edi__o_digital_mv_2_de_mar_o_de_2021/8

terça-feira, março 02, 2021

FEST 2021 acontece em Outubro e mantém a vertente profissional presencial em Espinho




















































FEST 2021 acontece em Outubro e mantém a vertente profissional presencial em Espinho



O FEST – Festival Novos Realizadores, Novo Cinema acontece, este ano, entre 4 e 11 de outubro. 


A 17ª edição do festival de cinema manterá toda a sua programação de filmes nas salas de Espinho e trabalhará para reforçar a vertente familiar, assim como os espaços de encontro com a comunidade local, dando continuidade ao trabalho desenvolvido nas anteriores edições.

A vertente profissional, um dos principais elementos diferenciadores do FEST, voltará este ano em formato presencial, num compromisso consciente entre as necessárias medidas de saúde pública e a preservação da identidade do evento: a criação de um ambiente de proximidade, troca de ideias e contacto próximo entre profissionais de diversos espectros. 

Composto pelas masterclasses, conferências e palestras do Training Ground, os espaços de encontro entre profissionais (Industry Meetings) e o Pitching Forum (espaço de formação e apoio a novos projectos), o Fest Pro partirá da sala para o online, num formato híbrido que permitirá a transmissão de algumas das iniciativas para um público mais alargado e transnacional.

No campo da programação de cinema, o FEST manterá todo o esqueleto competitivo (Competição Internacional de curtas e longas metragens, Grande Prémio Nacional, NEXXT e FESTinha), assim como o foco essencial na divulgação e criação de novas oportunidades a realizadores emergentes.

 Mantém-se também os programas temáticos, Be Kind Rewind e Flavours of the World, e a vontade de levar o programa competitivo em simultâneo a outras cidades do país, à semelhança do que aconteceu no ano passado com Porto e Lisboa.


Mais detalhes sobre a programação serão divulgados nos próximos meses.


FONTE : FEST 


 


domingo, fevereiro 28, 2021

Igreja Matriz de Espinho

 


Igreja Matriz de Espinho


Fotos Direitos Reservados


















Igreja Matriz de Espinho



Igreja Paroquial dedicada a N. Sra. da Ajuda, a Matriz de Espinho é um templo que veio substituir a antiga Capela da Praça Nova, numa área que foi invadida pelo mar.


É uma obra moderna da responsabilidade do arquiteto Adães Bermudes, iniciada em 1930 sob a vigência do Padre Joaquim Teixeira Silva Amaral. 

Trata-se de uma construção ao gosto da época, com sabor revivalista neo-românico.

Este templo caracteriza-se pela boa combinação dos elementos de inspiração românica e as necessidades contemporâneas.

A volumetria da fachada é marcada pela imponente torre sineira central, precedida por pequena escadaria de acesso ao portal nobre.

 Este é constituído por arco de volta perfeita, contornado por composição rendilhada, encimado por frontão triangular e rematado por cruz latina.

 Segue-se-lhe o pano intermédio, composto por elevado vão em arco de volta perfeita, encerrando no tímpano o relógio. 

Este é separado inferiormente por moldura denticulada; abaixo dela abre-se um óculo, sob o qual está uma janela geminada, também em arco "românico", enquadradas por arco pleno. 

À altura destas janelas rasgam-se duas frestas laterais, encimadas por um arco de volta perfeita.

 Os corpos laterais terminam em frontão retilíneo que enquadra a torre, sobre friso entrelaçado e com o centro a cheio.

A torre quadrangular apresenta três aberturas em cada face, enquadradas por molduras ressaltadas e ornadas com o mesmo tipo de friso. 

As ventanas desenvolvem-se em arcaria nos panos da torre e os ângulos são vincados por cunhais fenestrados, rematados por pináculos em socalcos. 

A coroar o coruchéu piramidal encontra-se uma imagem da Virgem Maria.

 Lateralmente, rasgam-se largos óculos colocados nos topos dos transeptos.

 Os vitrais das janelas são do século XX (1949), da autoria de Silvério Vaz, com a colaboração do arquiteto Inácio de Sá.

Interiormente, o templo projeta-se em nave única e ampla que se desenvolve, lateralmente, por uma arcaria. 

Esta, na zona inferior, estabelece capelas, abrindo-se no piso superior diversas janelas. 

É de salientar a segunda capela do lado direito pelo Cristo crucificado de grandes dimensões, uma notável escultura de madeira policroma da autoria de Teixeira Lopes.

 Na sua conceção estilística, esta imagem filia-se numa outra idêntica que está na Casa-Museu de Gaia.

 O Cristo crucificado tem como pano fundeiro uma excelente tela do pintor Joaquim Lopes, onde trata de diferente forma o tema das Almas do Purgatório - à direita, um anjo a libertá-las e, à esquerda, a Senhora do Carmo a interceder por elas.

Merecedora de atenção é também uma escultura quatrocentista de pedra de Ançã, de oficina coimbrã, representando S. João Evangelista e que está posta na sacristia.

Os autocarros chapa de matrícula verde



Os autocarros  chapa de matrícula verde















sábado, fevereiro 27, 2021

Estaleiro modernização Rede Ferroviária Nacional em Granja



Modernização Rede Ferroviária Nacional entre Espinho Gaia































Modernização do troço entre Espinho e Vila Nova de Gaia, na Linha do Norte.


Com um valor base de 49 milhões de euros, a intervenção a executar ao longo de um troço com cerca de 17 quilómetros, envolve, entre outros trabalhos:


A Renovação Integral da superestrutura da plena de Via;

A eliminação de 18 passagens de nível (rodoviárias e pedonais) através da construção 16 desnivelamentos;

O alteamento e alargamento de plataformas de acesso de estações e apeadeiros;

A alteração do layout das estações de Granja e Vila Nova de Gaia;

A criação de duas vias de resguardo eletrificadas, com 750 metros, para aumento da capacidade da via no transporte de mercadorias.