Páginas

terça-feira, março 27, 2018

Espinho Surf Destination 2018 - Júnior Pro Espinho



Melania Diaz e Mathis Crozon venceram
Para os dois jovens, esta foi a primeira vitória nesta categoria, iniciando a disputa pelo título europeu (e acesso ao mundial) com o pé direito!

A espanhola Melania Suarez Diaz e o francês Mathis Crozon venceram ontem o Junior Pro Espinho, a primeira etapa na Europa do circuito mundial de surf Pro Junior deste ano, que ontem terminou na Praia da Baía, com ondas fortes, de 1,5m a 2m.

Para os dois jovens, esta foi a primeira vitória das suas carreira nesta categoria, iniciando a disputa pelo título europeu (e acesso ao mundial) com o pé direito.

Melania, de apenas 14 anos, bateu na final a sua compatriota Nadia Erostarbe, até então a principal candidata à vitória pelo surf que tinha vindo a apresentar até ali. Mas a jovem das ilhas Canárias soube manter a calma durante a bateria decisiva, escolheu melhor as ondas e acabou por conquistar uma vitória confortável sobre a atleta do País Basco.

"Dei-me bem, apesar das condições difíceis. Estava muito vento durante a nossa final e isso causou uma corrente forte, além de não ouvirmos praticamente nada lá fora. Só soube que tinha ganhado quando cheguei à praia! Mas é claro que estou muito feliz! Obrigado à Nadia pela disputa. Foi muito bom termos ido as duas à final” comentou Melania.

Nas meias-finais, em terceiro lugar ex-aequo, ficaram a francesa Juliette Lacome e a israelita Anat Lelior, que também tinham mostrado bom surf na fase anterior. Assim, em quinto lugar, nos quartos-de-final, terminaram as canárias Lucia Machado e Laura de Los Reyes, a bretã Maelys Jouault e a portuguesa Mafalda Lopes, batida por uma fortíssima Nadia Erostarbe.

Já na prova masculina, o melhor ficou mesmo guardado para o fim. A final foi a bateria mais competitiva de todo o evento, com direito a grandes ondas por parte dos dois finalistas, à melhor pontuação total e à melhor onda do Junior Pro Espinho 2018.

Mathis Crozon, francês da ilha Reunião, que em 2016 tinha chegado às meias-finais deste evento, bateu-se contra o campeão europeu em título, Kauli Vaast, francês do Tahiti, depois de ambos terem mostrado muita maturidade competitiva e altíssimo nível de surf ao longo do dia. Mas nada previa o espectáculo a que se assistiu no heat derradeiro.

Mathis e Kauli começaram por conseguir ondas na casa dos 8 pontos cada um, com Vaast, que venceu recentemente uma etapa do circuito mundial Pro Junior no Tahiti, a somar-lhe outra na casa dos 7 pontos e assumir a liderança. Foi preciso Crozon mostrar todo o seu repertório numa das maiores ondas do dia, que lhe valeu 9,17 pontos em 10 possíveis, para somar 18,10 pontos de total e vencer o evento de forma espectacular. Uma vitória merecida para Mathis e um segundo lugar de cabeça bem levantada para Kauli.

"Estava muito nervoso antes da final... afinal era a minha primeira final num evento Pro Junior” afirmou Crozon quando saiu da água. "Tinha de estar muito focado e apanhar só as melhores ondas. Quando fiz a de nove pontos, não conseguia ouvir a pontuação por causa do vento... mas quando saí da água e vi os meus amigos e patrocinador a correrem para mim... aí percebi que tinha mesmo vencido! Estou muito feliz! Obrigado Espinho” concluiu o vencedor.

Nas meias-finais, em terceiro lugar, ficaram outros dois grandes destaques do evento, o francês Justin Becret e o alemão Lenni Jensen. Jensen foi vítima de uma bateria com poucas ondas boas e Becret, que tinha eliminado o seu compatriota Marco Mignot (vencedor desta prova e vice-campeão europeu em 2017) na fase anterior, só caiu depois de ter partido a sua prancha ao meio na finalização de uma das manobras mais impressionantes do dia. Dois atletas a ter em atenção para a disputa do título europeu de 2018.

Assim, em quinto lugar, nos quartos-de-final, a par de Marco Mignot, ficaram ainda o italiano Edoardo Papa, já apelidado "o novo Leonardo Fioravanti”, o francês Tiago Carrique e o muito jovem basco Adur Amatriain, que impressionou bastante pela sua atitude e estilo polido. O melhor português foi então Salvador Couto, que terminou a prova num honroso nono lugar.

Terminou ontem o Espinho Surf Destination 2018, uma aposta no mês de março que a organização considera ganha.

"Tivemos todo o tipo de condições atmosféricas, ondas grandes, pequenas, longboard, surf, masculino, feminino... e conseguimos levar todas as provas a bom porto, com excelentes recordações para os atletas, que adoraram mais uma vez este evento, considerado o melhor Pro Junior do mundo em 2017. O nome de Espinho voltou a circular pelo mundo todo, cumprindo a estratégia pensada para o conceito do Espinho Surf Destination há cinco anos”, afirmou Gonçalo Pina.

"A aposta no mês de Março mostrou-se vencedora, com a cidade cheia de jovens atletas e acompanhantes, o que encheu hotéis, restaurantes, comércio local, etc, numa altura do ano em que o turismo não é tão forte. Por isso e pela aposta no Espinho Surf Destination, não queríamos deixar de agradecer à Câmara Municipal de Espinho, que tem sido o grande motor desta iniciativa”, completou Pedro Ferreira.

"Espinho tem nas suas ondas uma grande mais-valia e isso ficou novamente provado em 2018, com os atletas a serem os grandes heróis desta edição do Espinho Surf Destination, pela forma como lidaram com as fortes condições. A cidade vai continuar a apostar neste evento, que traz uma visibilidade além-fronteiras difícil de igualar e um enorme retorno imediato para a cidade”, concluiu Vicente Pinto, vice-presidente da Câmara Municipal de Espinho.



Sem comentários: